quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Quais são as teorias da firma e como elas se relacionam à governança corporativa?


Luigi Zingales, no artigo Corporate governance (1997), afirma que, antes de discutir sobre como a firma deve ser governada, é preciso definir o que é a firma, palavra frequentemente usada por economistas para se referir à entidade empresarial ou empresa.

O conceito de firma começa a emergir no âmbito da chamada economia neoclássica, pois os economistas clássicos não se ocuparam especificamente do mesmo. E quais são os principais conceitos de firma, segundo a economia? No artigo Governança corporativa: algumas reflexões teóricas sob a perspectiva da economia, as professoras Patrícia Bernardes e Mônica Mansur Brandão identificam a firma, de forma não exaustiva, segundo três visões distintas:

Quem foi Ronald Coase?


Ronald Harry Coase (29/12/1910 - 2/9/2013) foi um economista e professor britânico, com origem na classe trabalhadora, que desenvolveu diversos trabalhos sobre o sistema capitalista e por eles teve grande reconhecimento, em âmbito global. Foi agraciado, em 1991, com o Prêmio Nobel de Economia, especialmente em função de trabalhos como A teoria da firma e O problema do custo social. Seu livro The firm, the market and the law (A firma, o mercado e o direito) foi traduzido para a língua portuguesa em 2016, tendo sido publicado no Brasil pela Forense Universitária.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Quais são as estruturas de governança do capitalismo?


Em 1997, J. Rogers Hollingsworth e Robert Boyer, no artigo denominado Coordination of economic actors and social systems of production, integrante do livro Contemporary capitalism – the embeddeness of institutions –, coordenado por esses autores, explicam que uma economia capitalista opera por meio de um conjunto de estruturas ou mecanismos de coordenação de atividades econômicas, a saber: empresas (ou firmas, palavra muito usada em economia), mercados, redes, associações, comunidades e Estado entre outros.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

COP 21: 195 países se comprometem a frear o aquecimento global


Neste último sábado, 12 de dezembro de 2015, a plenária da COP 21 aprovou o primeiro acordo global de fato para enfrentar as mudanças climáticas, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa (GEE’s). Os 195 países signatários, Brasil incluído, concordam em atuar para limitar o aumento da temperatura média do Planeta abaixo de 2 graus centígrados, com foco na meta de 1,5 graus centígrados.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Caso Volkswagen: fraude, governança e sustentabilidade


Na segunda semana do mês de setembro de 2015, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos iniciou uma investigação de cunho penal contra a Volkswagen, montadora alemã que atualmente ocupa o patamar de maior empresa do ramo automobilístico no mundo. O motivo que desencadeou a investigação foi a suspeita de um software utilizado pela Empresa para fraudar os resultados de testes contra a emissão de poluentes, realizados nos carros da marca. A denúncia partiu de pesquisadores da Universidade West Virgínia, após a análise de veículos.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

BMFBovespa compensa emissões de gases de efeito estufa


Desde 2013, a BMFBovespa faz compensação da emissão de gases de efeito estufa (GEEs), tendo compensado as emissões por ela geradas em 2011 e 2012. Neste ano de 2015, a prática foi repetida, por meio da compensação das emissões de 2014. Para isso, 4.903 créditos de carbono, ou seja, 4.903 toneladas de CO2 equivalente foram adquiridos no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Acordo de Quioto.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Começa a COP 21


A 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 21) foi iniciada em Paris nesta segunda-feira (30), sob forte aparato de segurança. O evento ocorre sob o temor de novos atentados terroristas, após aqueles ocorridos no dia 13 de novembro, na capital francesa, quando um conjunto de ataques coordenados, em distintos pontos da cidade, provocou 129 mortes, além de ferimentos em muitas pessoas (leia mais aqui para mais informações).

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Em foco: quais são os princípios da governança corporativa?


Antes de responder à pergunta do título, é importante indagar: o que é um princípio? Esta palavra tem vários significados, todos eles remetendo ao conceito genérico de início, origem. Quando se considera a expressão princípio ético, o conceito citado não se perde, sendo enriquecido pela noção de regra, preceito, associado ao comportamento esperado de uma pessoa ou organização.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

IBGC comemora 20 anos de defesa da governança corporativa


Neste dia 27 de novembro, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) comemora 20 anos de existência.

Fundado em 1995 por um grupo de 36 pioneiros, com o nome de Instituto Brasileiro de Conselheiros de Administração (IBCA), o Instituto tem feito, ao longo de duas décadas de existência, um trabalho importante em prol das boas práticas de governança corporativa no Brasil. 

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Quais são os principais fundamentos do modelo político de governança corporativa?


No artigo Quais são as principais teorias da governança?, apresentam-se as quatro principais teorias da governança corporativa: modelo financeiro (simple finance model)modelo dos stakeholders(stakeholders model)modelo administrativo ou de procuradoria (administrative model) e modelo político (political model)Focaliza-se neste artigo o modelo político, com  visão mais abrangente entre os quatro modelos citados. Seus principais fundamentos são: 

O que é peer-to-peer lending?



O peer-to-peer lending vem fazendo grande sucesso nos Estados Unidos e no Reino Unido e existe também no Brasil. Ele pode ser explicado como sendo um ambiente de tomada empréstimos, intermediados por uma plataforma on line. Como exemplo, menciona-se a plataforma inglesa Zopa que, desde o ano de 2015, intermediou estimados 950 bilhões de libras (R$ 4,5 bilhões). Abaixo, apresenta-se tela da Zopa:

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Diretora do Teatro Alfa: arte e cultura podem ser sustentáveis


A executiva Elizabeth Machado é diretora superintendente do Teatro Alfa, localizado na cidade de São Paulo. Com a crise política e financeira pela qual passa o Brasil, os recursos para a arte diminuíram, mas de acordo com a economista, o Teatro, conforme pretendia Aloysio Faria, fundador, hoje se paga, sem dar prejuízo mas sem ter que gerar lucro a qualquer custo. 

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Em foco: o que são códigos de ética?


Um código de ética é um documento que expõe elementos como missão, princípios éticos de uma profissão ou organização, direitos e deveres das pessoas abrangidas pelo código e sanções incorridas em situações de violação das regras do código. 

Quem é Robert Monks?


RobertAugustus Gardner Monks nasceu em 1933, nos EUA, e é um famoso ativista em prol dos direitos dos sócios não controladores em companhias com ações em bolsa de valores. Como ativista individual, ele é reconhecido por muitas especialistas em governança corporativa como o mais importante e ativo na defesa das boas práticas de governança.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Estratégia com sustentabilidade: reflexões


O planejamento de empresas incluindo práticas sustentáveis vem sendo cada vez mais sendo exigido por consumidores e organizações responsáveis pela regulamentação de ações em relação ao meio ambiente e à sociedade.

Um impasse que as organizações enfrentam ao tentarem se adequar a esse processo é o suposto “alto custo” da produção sustentável. Existe a crença de que para um negócio se tornar “sustentável”, é preciso aumentar os recursos do orçamento, elevando o valor de produtos e serviços.


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Breve reflexão sobre a defesa ambiental do Papa Francisco


O Papa Francisco se manifestou, no dia 26 de agosto, sobre o meio ambiente, pedindo que os cristãos assumam um estilo de vida responsável e coerente com  a salvaguarda da criação. Na centésima audiência geral de seu pontificado, diante de milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, o Papa reforçou o apelo em prol de uma mudança de modo de vida.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Herdeira do Bradesco doará patrimônio a obra social


Lia Maria Aguiar, uma das três filhas adotivas do fundador do Bradesco, Amador Aguiar, doará seu patrimônio da ordem de R$ 2,6 bilhões, em testamento, a uma fundação beneficiente por ela criada na cidade de Campos do Jordão (SP). A entidade criada pela herdeira é a Fundação Lia Maria Aguiar (FLMA).

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Quais são os principais fundamentos do modelo administrativo de governança corporativa?


O artigo Quais são as principais teorias da governança? introduz as quatro principais teorias da governança corporativa: modelo financeiro (simple finance model)modelo dos stakeholders(stakeholders model), modelo de administrativo ou de procuradoria (administrative model) e modelo político (political model)Este texto focaliza o modelo administrativo que, conforme se verá, apresenta convergência e divergência em relação ao financeiro. Seus principais fundamentos são:

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Impactos externos no Ibovespa: China é bola da vez


Nesta manhã, a BM&FBovespa abriu em forte queda, acompanhando outros mercados acionários, impactados pelo pânico ou, atenuando a palavra, elevado temor, de investidores globais em relação à China. 

O índice Ibovespa chegou a cair 6,49%, por volta de 10:35 h, em relação ao momento de abertura; às 14:31 h, o índice havia se recuperado bastante, com queda de 1,77% e 44.910 pontos. No momento de fechamento desta postagem, o mercado se encontra em operação e com tendência de queda.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Caso Dodges x Ford: visões de curto x longo prazo de sócios


A Ford Motor Company, fabricante de automóveis mais conhecida ao redor do Planeta como Ford, foi criada em 1903, em Detroit, Michigan (EUA), por Henry Ford, então com 39 anos, e outros acionistas, entre os quais os irmãos e engenheiros John Francis Dodge e Horace Elgin Dodge. Os irmãos Dodge eram do ramo automotivo, ajudaram na construção da fábrica da Ford e, em 2014, criaram seu primeiro automóvel, o Dodge, em Detroit.

Moody’s rebaixa BM&FBovespa e bancos após rebaixamento de rating do Brasil


A Moody’s, agência de avaliação de crédito de países e empresas, rebaixou, na quarta-feira (12), o rating de 12 bancos brasileiros e da BM&FBovespa. Rating, no sentido empregado pela Moody’s, é a denominação da classificação de risco relativa à qualidade de crédito. No mercado financeiro, um bom rating funciona como um “certificado de segurança” que as agências de classificação fornecem sobre organizações que elas consideram com baixo risco de “calotes” a investidores.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Quem é John Elkington?



John Elkington é um sociólogo britânico nascido em 1949, reconhecido mundialmente como uma das maiores autoridades em responsabilidade corporativa e desenvolvimento sustentável.

É cofundador da SustainAbility, firma criada em 1987, qual foi presidente de 1995 a 2005, especializada em prestar assessoria sobre riscos e oportunidades associados ao desenvolvimento sustentável. É também sócio fundador e diretor da Volans Ventures, criada em 2008 para buscar, explorar e desenvolver soluções inovadoras para o futuro global.

Em foco: quais são as três dimensões clássicas da sustentabilidade?


Quando se fala em sustentabilidade, não se pode deixar de considerar suas três dimensões clássicas tratadas pela literatura, ainda que não exaustivas: econômica, social e ambiental. Esse tripé – ou Triple Bottom Line – foi proposto pelo sociólogo britânico John Elkington, no livro Cannibals with forks: the triple Bottom Line of 21st Century (Canibais com Garfo e Faca: o Triple Bottom Line do Século 21, 1998), para se referir a três pilares que embasam ou orientam muitas análises sobre a sustentabilidade das organizações. As três dimensões em questão têm sido chamadas, ainda, de 3 Ps – profit, people e planet – ou seja, lucro, pessoas e planeta. 

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Lei do Mercado de Capitais completa 50 anos


A Lei n. 4.728 (14/7/1965), a famosa Lei do Mercado de Capitais, fez 50 anos em 15 de julho de 2015, tendo sido objeto de capa e ampla cobertura da prestigiosa Revista RI, publicação do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI), em sua edição 195 (jul/2015).

Destaca-se na iniciativa o artigo de Roberto Teixeira da Costa sobre o assunto, acessado no link abaixo:

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Quais são os principais fundamentos do modelo dos stakeholders de governança corporativa?


O artigo Quais são as principais teorias da governança? introduz as quatro principais teorias da governança corporativa: modelo financeiro (simple finance model), modelo dos stakeholders (stakeholders model)modelo administrativo ou de procuradoria (administrative model) e modelo político (political model). O presente texto focaliza o modelo dos stakeholders, que faz o contraponto ao modelo financeiro; juntos ambos reúnem a maior parte da polêmica residente nas teorias da governança corporativa. Seus principais fundamentos são: 

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Em foco: o que são stakeholders?


A palavra stakeholder é consideravelmente usada na literatura acadêmica e de negócios e corresponde à junção das palavras stake (participação) e holder (detentor), referindo-se a detentores de participações, no sentido de interesses, de um empreendimento. Neste breve artigo, trata-se esse vocábulo como sinônimo das expressões públicos estratégicos e públicos relevantes.


sexta-feira, 24 de abril de 2015

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Caso Texaco: a emergência do movimento pela governança corporativa


Rolf H. Carlsson, na obra Ownership and value creation (2001), afirma que o movimento pela governança corporativa eclodiu nos EUA, em meados da década de oitenta, e expandiu-se consideravelmente na década seguinte. Segundo o autor, como tantas outras novas ideias, tendências e modismos, tal movimento surgiu na Califórnia e, a partir daquele estado, difundiu-se pelo Planeta, especialmente em meados dos anos noventa. Carlsson considera o caso Texaco como o turning point que deflagrou o movimento pela governança, a partir daquele estado.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Quem foi Rachel Carson?


Rachel Louise Carson (27/5/1907-14/4/1964), falecida aos quase 57 anos, nasceu nos EUA e foi uma cientista, professora, escritora e ecologista estadunidense. Graduou-se na Chatham University (anterior universidade da Pensilvânia para Mulheres), em biologia, e estudou, posteriormente, zoologia e genética na Johns Hopkins University, onde fez seu mestrado.

Em foco: o que é sustentabilidade?


O conceito de sustentabilidade, no formato da expressão desenvolvimento sustentável, emergiu do documento denominando Our common future (Nosso futuro comum), publicado em 1987 e conhecido como Relatório Brundtland. Produzido pela Comissão Mundial para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CMMAD), instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Relatório Brundtland foi marco na proposta de uma nova lógica para o desenvolvimento dos povos. 

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Quais são as teorias da governança corporativa?


O tema governança corporativa tem sido objeto de muitos estudos e, na esfera acadêmica, esses trabalhos podem ser enquadrados dentro de quatro grandes teorias, conforme explicam James P. Hawley e Andrew P. Williams, no artigo Corporate governance in the United States: the rise of fiduciary capitalism (1996), além de Shann Turnbull no artigo Corporate governance: its scope, concerns and theories (1997, em referência a Hawley e Williams):

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Quem foi Adrian Cadbury?


Sir Adrian Cadbury (15/4/1929-3/9/2015),  falecido aos 86 anos, foi uma das personalidades mais influentes  no desenvolvimento da governança corporativa. Foi empresário de sucesso, tendo se tornado chairman da Cadbury em 1965 e se aposentado na Cadbury Schweppes em 1989. Exerceu, ainda, outros cargos na Alta Administração do Bank of London e da IBM.

Em foco: o que é governança corporativa?


A expressão governança corporativa emerge do inglês corporate governance, não existindo, para ela, a rigor, um conceito completo e fechado ao redor do mundo. Mesmo assim, existem definições bem aceitas e, para fins deste artigo, consideramos aquela do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) que, em seu Código de Melhores Práticas de Governança (4ª edição), define a expressão como sendo “o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, Conselho de Administração, Diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.